Data Magna: saiba por que o dia 6 de março é feriado em Pernambuco

Por Paulinho Muniz / Dom Pablito

Quinta-feira, 05 de Março de 2020 07:01
Categoria: História; Curiosidades; Outros


No dia 6 de março, é celebrado o aniversário da Revolução Pernambucana de 1817, que criou uma República independente do resto do Brasil
Blog do Abelhudo

O que é a Data Magna de Pernambuco?

O dia da Carta Magna, celebrado nesta sexta-feira, 6 de março, presta uma homenagem a Revolução Pernambucana de 1817, quando o estado de Pernambuco se rebelou contra a monarquia portuguesa e criou uma República independente do resto do país. A Revolução Pernambucana é tida como o primeiro movimento de pela Independência do Brasil, que aconteceu cinco anos depois. Nos últimos três anos, o dia 6 de março passou a ser feriado estadual.

Feriado

A Data Magna de Pernambuco foi estabelecida pela Lei Estadual nº 13.386, de 24 de dezembro de 2007, projeto de autoria da então deputada Terezinha Nunes. Em 2009, o Governo de Pernambuco aprovou outra lei, alterando a Data Magna do Estado para o primeiro domingo de março. Já em 2017, visando prestar uma homenagem ao bicentenário da Revolução Pernambucana, o Governo de Pernambuco aprovou uma nova lei, alterando novamente a Data Magna do Estado para 6 de março e instituindo a data como um feriado civil.

Sendo assim, nesta data são realizadas comemorações cívicas, como o hasteamento da bandeira de Pernambuco no Palácio do Governo e a colocação de coroa de flores no monumento aos revolucionários, na Praça da República.

O que representa o dia 6 de março?

O dia 6 de março de 1817, data da deflagração da Revolução Pernambucana, representa um marco na luta contra a opressão da Côrte Portuguesa, que estava no Brasil desde 1808 e criou pesados impostos e tributos. A histórica revolução foi liderada por Domingos José Martins, com o apoio do padre João Ribeiro, padre Miguelinho, padre Roma, Vigário Tenório, Frei Caneca, Antônio Carlos de Andrada e Silva, Domingos Teotônio Jorge, entre outros. Por mais de 70 dias, Recife estabeleceu um regime independente e com outra realidade política, que tinha como propostas a proclamação da República, a extinção de impostos abusivos e a elaboração de uma Constituição para garantir direitos aos cidadãos, tais como: a igualdade de todos perante a lei, a liberdade religiosa e a de imprensa.

Revolução Pernambucana - Entenda assistindo o vídeo

No entanto, após esse período, a Corte Portuguesa sufocou o movimento. A cidade do Recife foi cercada por terra e mar e os líderes da Revolução foram presos e mortos. A luta, entretanto, não foi em vão. A Revolução Pernambucana serviu como base para a Independência do Brasil, que aconteceu cinco anos depois, em 1822.

Autore Fonte: Lourenço Gadêlha - JC-Rádio Jonral


Leia mais Sobre História; Curiosidades; Outros



Comente ou Compartilhe em Sua Rede Social